OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

  • Sexta-Feira, 21 de Junho de 2013
    Maria Luiza Mistrorigo
  •  

    Por décadas, Maria Luiza Mistrorigo viajou. E os países que conhecia ela levava para dentro das salas de aula do colégio Caetano de Campos, no centro de São Paulo. Suas aulas eram ilustradas com as próprias experiências. Maria Luiza ensinava geografia.

    Com um grupo de amigas, a maioria delas também professoras, conheceu praticamente o mundo todo, como lembra o sobrinho Bolívar.

    Filha de imigrantes italianos, nasceu em Ribeirão Bonito, no interior paulista, onde passou parte da infância. Também morou em Limeira.

    Seu pai, enólogo, teve fazenda, serraria e perfumaria.

    Na capital paulista, Maria Luiza se formou na USP. Deu aulas por pouco tempo em Catanduva antes de entrar no Caetano de Campos, onde ficaria por cerca de 20 anos.

    A família lembra que era muito comum a professora ser parada na rua por ex-alunos querendo cumprimentá-la.

    Depois da aposentadoria, ainda viajou por um tempo com a família. Adorava a Itália, por ser a terra dos pais.

    Solteira, dedicou-se aos seis sobrinhos e, especialmente, aos sobrinhos-netos. Todos eles, quando crianças, tiveram uma farta coleção de coletinhos de lã tecidos por tia Maria, como era chamada.

    Embora estampasse seriedade, era muito espirituosa.

    Frequentou a igreja até não poder mais andar por causa de uma queda ao tentar trocar uma lâmpada em casa.

    Nos últimos cinco anos, a saúde piorou devido ao alzheimer. Morreu em 6 de junho de 2012, aos 87anos, de complicações de uma pneumonia. 

     
     Por ESTÊVÃO BERTONI
     

     



    Voltar