OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

  • Domingo, 12 de Junho de 2011
    Diretores da Escola Normal e do Instituto Caetano de Campos
  • 1846-1867 -Manuel Chaves, primeiro e único professor da Escola Normal por 20 anos.

    1875- Francisco Aurélio de Souza Carvalho em conjunto com o prof. Américo Ferreira de Abreu ( 1875-1878)

    1880-1882 -Vicente Mamede de Freitas

    1882-1884-Paulo Bourroul, a Biblioteca da Praça tinha esse nome em sua homenagem

    1884-1887- José Estácio Correia de Sá Benevides

    1887-1889- Cônego Manuel Vicente da Silva

    1889-1890- Desembargador Manuel Jorge Rodrigues

    1890-1891- Dr. Antonio Caetano de Campos ( ver biografia completa)

    No período entre 1867 à 1880 devido à diversos fatores como falta de verba, guerras e outros, a escola sofreu algumas interrupções.


    Na Escola da Praça, inaugurada em 1894, diversos diretores  que por lá passaram deixaram sua marca na história da Escola e da Educação no Brasil:



    1891-1898-Gabriel Prestes , diretor da Escola Normal e Miss Browne,de 1890 a 1894 diretora da Escola modelo do Carmo, depois denominada Escola “Caetano de Campos- "Nasceu a 21 de setembro de 1867, em Palmeiras, no Paraná. Era filho de Pedro Prestes e Josefina Branco Prestes. Com sua mãe viuva, fixou residencia em Campinas, onde frequentou o curso primário em 1877.Mudou-se para Capivari, onde cursou o secundário e iniciou o magistério elementar, cujo exercício continuou em Itapira.Casou-se com d. Maria Francisca Soares, aos 17 anos de idade.Em 1886 matriculou-se na Escola Normal, onde em 1888 diplomou-se professor normalista, com distinção.Fundou um externato para aulas auxiliares destinadas a normalistas. Ingressou no jornalismo trabalhando na redação do “Grito do Povo”.Em 1890 filiou-se ao Partido Republicano Paulista sendo, no ano seguinte, eleito deputado como representante dos professores. Em 1892, Gabriel Prestes assinala-se pela primeira vez como paladino ardoroso das causas do ensino, publicando no “Estado”uma série de artigos sobre um projeto de lei reformando a instrução pública e do qual saiu a lei n* 88 de 8 de setembro de 1892. Ainda na Camara preparou em 1893 o projeto de lei n* 169, de 7 de agosto de 1892, que regulamentava os cargos de Inspetores distritais, Conselhos Superio do Ensino, Escolas Complementares, ampliava o curso Normal, estabelecia duas categorias de professores- primários e complementares- e ratificava a lei que criava as novas escolas normais no interior do Estado.Tomou posse a 3 de outubro da direção da Escola Normal e trabalhou na regulamentação da lei 169.Em 1894 conseguiu a mudança da Escola Normal da rua Boa Morte para o novo edifício da Praça da República, passando a denominar-se “Caetano de Campos”e promoveu a instalação das Escolas Complementares Modelo.Recebeu em homenagem do Secretário do Interior o nome de “Gabriel Prestes”ao Grupo Escolar de Lorena.Ampliou a biblioteca, o museu de História Natural e laboratórios de física e química. Construiu o edifício do Jardim de Infância e iniciou sua organização. Publicou a “Revista do Jardim de Infância”destinada a orientar os professores.Não concordando com a nova regulamentação do ensino, Prestes, em 1898 exonerou-se do cargo da Escola Normal e de Membro do Conselho Superior do Ensino, para o qual foi nomeado , em 1896.Em 1900, indicado para uma cadeira de deputado, resignou-a, em face da diddidência do PRP.Abandonou a política e ingressou no comercio; foi um dos diretores do Banco União de São Paulo e diretor fiscal do Banco Hipotecário e Agrícola.Faleceu a 17 de Novembro de 1911, aos 44 anos, tendo sido enterrado no Cemitério da Consolação.

    1898-1901-João Alberto Sales- Bacharel em Direito em 1882- Exerceu a advocacia no interior e capital-Dirigindo a escola, organizou o novo plano de estudos que provocou divergência com o Secretário da Educação e consequente exoneração do Diretor


    1901-1920- Oscar Thompson- os 20 anos de sua direção foram o “período áureo”da Escola Normal-
    Primeiros estudos no Colégio Cross, depois no Seminário São Paulo- Presidente do Grêmio da Escola Normal em 1890 -Diplomou-se pela Escola Normal em 1891 – Adjunto da Escola-Modelo Anexa, sob a direção de Miss Broowne (1892)-Diretor substituto da Escola-Modelo-Organizador da Nova Escola modelo do Carmo (1894) depois denominada Caetano de Campos-Ingressa na Faculdade de Direito de São Paulo (1895)- Viaja a estudos nos anos de 1904 e entre 1911a 1914, quando foi para os Estados Unidos (foi substituido por Dr. Ruy de Paula Souza ) -Nomeado Diretor Geral da Instrução Pública em 1909- Promove a continuidade da “ Revista do Ensino  “-Nomeado pela segunda vez Diretor da Instrução Pública em 1917

    1910 à 1914- Ruy de Paula Souza- Nascido em Itú a 2 de fevereiro de 1869. Fez seus estudos primários e secundários em Paris, bacharelando-se em Letras na Sorbonne.
    Vindo para o Brasil com 20 anos, cursou a Escola de Minas em Ouro Preto, tendo o prof. Gorceix aceitado seus estudos secundários feitos em Paris.
    Em 1904 fez concurso e , sendo habilitado, conseguiu cátedra de francês da Escola Normal.
    Foi ele que recebeu na Escola em 1910 o Rei da Bélgica.
    Em 1919 foi eleito deputado pelo 9* distrito e reeleito por duas legislações.
    Cavaleiro da Honra Francesa, foi com Georges Dumas um dos fundadores da "Union France-Amérique", cujo objetivo era a aproximação intelectual entre franceses e brasileiros. Fundou em 1924 o Liceu Franco- Brasileiro, mais tarde Licée Pasteur, juntamente com outros professores da Escola Normal.
    Dedicou grande parte de sua vida ao ensino, desejando mudar a orientação cultural que se empregava nessa época, e que era o preparo dos alunos apenas para o ingresso nas academias superiores.

    1920-1921-José Augusto de Azevedo Antunes – primeiros estudos em Pirassununga-Diplomado em 1901
    (complementarista) pela Escola Normal- Professor em várias escolas no interior-diretor das Escolas Reunidas da Lapa ( 1908)- Organizador das Escolas Reunidas da Lapa em Grupo Escolas-Matriculou-se no curso noturno da E. Normal Secundária, refazendo o Curso Normal e diplomando-se em 1912-Nomeado Inspetor escolar em 1914-Fundador e Diretor do Grupo Escolar São Joaquim , atualmente Campos Sales-Nomeado ( por Oscar Thompson)Diretor da Escola Normal do Brás em 1918- Nomeado Diretor da escola normal em 1920-Aposentado depois de 37 anos de magistério deixando “exemplo que desafia imitadores”em 1939

    1921-1924- Prof. Renato Jardim

    1924- de junho à outubro- Pedro Voss - Diplomado  pela Escola Normal em 1892-Diretor do Grupo Escolar Prudente de Morais 1896-1901-Ocupou vários cargos no magistério-diretor da escola Normal em 1924-Diretor Gerald a Instrução Pública de 1924 a 1927

    1924-1925-Prof. Arnaldo de Oliveira Barreto Diplomado normalista em 1891- Nomeado Professor da primeira Escola Modelo em 1894-Redator da  “ Revista do Ensino “ de 1901 a 1919- Organizador de Escolas Primárias da Marinha em 1911- Diretor do Ginásio de Campinas de 1808 a 1923-Diretor da Escola Normal em 1924 a 1925- Autor de livros escolares e de Literatura infantil- Exerceu o magistério durante mais de 30 anos

    1925-1928-Prof. Carlos Alberto Gomes Cardim -Diplomado pela Escola Normal em1894- Nomeado para Escola Isolada, por concurso-Nomeado professor da Escola- Modelo Anexa sob direção de Miss Browne- Nomeado para a Escola Complementar, sob a direção de Gabriel Prestes- Inspetor Técnico na direção do Dr. Ruy de Paula Souza- reformador do Ensino primário e secundário do Espírito Santo-Nomeado Lente de psicologia da Escola Normal Secundária-Vice-Diretor da escola Normal do Brás de 1922 a 1924- Vice- Diretor da Escola Normal da praça de 1924 a 1925- Diretor da Escola Normal da Praça 1925 a 1928-Fundador da Biblioteca Infantil do Curso primário que depois denominou-se “Caetano de Campos "1* do Brasil- Promoveu o cultivo da Arte na escola, através da  Música, Poesia, Teatro e canto Orpheonico ( também difundido pela escola Normal da Praça).- Diretor do Conservatório Musical de São Paulo- Autor de livros didáticos e escolares.

    1928-1930- Prof. Honorato Faustino de Oliveira- Diplomado pela Escola Normal em 1887- Nomeado para Itapetininga, aí permaneceu até 1894-Cursou novamente a Escola Normal ( Curso Complementar)- Nomeado para a Escola- Modelo Peixoto Gomide (Itapetininga)- Nomeado Diretor da Escola Complementar de Piracicaba de 1897 a 1911-Nomeado Diretor da Escola Normal Primária de Piracicaba de 1912 a 1928-Nomeado Diretor da Escola Normal de São Paulo de 1928 a 1930

    1930-1933- ( Segunda República) Antonio Firmino de Proença- Diplomado pela Escola Normal em 1904-Professor em Piracicaba-Professor de didática e práticas de ensino em São Carlos-Transferido para São Paulo: Inspetor geral de Instrução pública-Autor de vários livros escolares e didáticos-Nomeado diretor da Escola Normal de 1930 a 1933 e de 1938 a 1939

    1933-1938-Dr. Fernando de Azevedo- Bacharel em Direito pela Faculdade São Paulo (1918)- Dedicou-se ao Magistério desde 1920-Diretor geral da Instrução Pública do Rio de janeiro- Professor da Universidade de São Paulo cadeira de Sociologia-Idealizou e realizou a reforma de 1933 quando transformou a Escola Normal da praça em Instituto de educação Universitária- Idealizou e realizou a construção do 3* andar do prédio da Escola Normal concluida em 1935- Reorganizou e ampliou o Laboratório de Psicologia-Reuniu a Legislação do Ensino em “Código de Educação” – Aprovou a undação do Centro de Puericultura- Autor de obras valiosas sobre Educação e Sociologia- Título de  “Cidadão Paulistano “em 1967

    1938-1939-Antonio Firmino de Proença-Nasceu na cidade de Sorocaba, no dia 26 de junho de 1880.Antonio Firmino de Proença iniciou sua jornada no magistério público do Estado de São Paulo, diplomando-se professor pela Escola Normal da Praça em 1904.Sua vida de normalista teve início em 1901, poucos meses antes de completar vinte e um anos de idade.Dois meses após sua formatura foi nomeado professor interino na Escola Complementar de Guaratinguetá. Alguns meses depois foi transferido para a Escola Complementar de Piracicaba. Nesta escola atuou como professor do 3* ano até a reforma de 1911, que transformou as escolas complementares em escolas normais primárias e criou as escolas normais secundárias. Em decorrência dessa reforma, foi nomeado para assumir a cadeira de Aritmética, Álgebra e Geometria na, já então denominada Escola Normal de Piracicaba.Começava assim a perigrinação de Firmino de Proença pelas escolas normais do Estado de São Paulo, ora desempenhando a função de professor, ora de diretor e às vezes, as duas concomitantemente. A primeira dessas escolas foi a de Piracicaba ( 1911); depois a de São Carlos (1913); em seguida a de Pirassununga ( 1920) ; novamente a de São Carlos (1922); uma rápida passagem por Campinas, onde dirigiu o Ginásio do Estado (1927) .Em 1928 vem para São Paulo onde assume o cargo de Inspetor Geral do Ensino e dois anos depois é nomeado diretor da Escola Normal da Capital (1930).
    Na Escola Normal ficou até sua aposentadoria, em 1938, onde em seguida abre sua própria escola: o Ginásio Caetano de Campos, que ficava na Rua Augusta, fato esse muito curioso, pois quase ninguém sabe da existência desta escola, nem a data de abertura e nem do encerramento de suas atividades, mas o que sa sabe é que mesmo depois da morte de Proença em 1946 a escola ainda funcionava, pois um professor que dava aulas nesta escola, o prof. Salomão Becker ( dava aulas na Escola Caetano de Campos também), foi o suposto criador do dia do professor, que foi instituído naquele estabelecimento no dia 15 de Outubro de 1947.
    Não só se dedicou como mestre em Matemática, como dito anteriormente, era também versado em História Natural e Geografia .

    1939-1947- Prof. Carolina Ribeiro – Diplomada prof. normalista pela Escola de Itapetininga em 1907- Nomeada adjunta do Grupo Escolar de São Manuel-Adjunta dos Grupos Escolares ‘’Maria José”e ”João Kopke" –Em comissão lecionou Português na Escola Normal do Brás em 1920- Organizadora e Diretora do Grupo Escolar católico ‘’São José”- Nomeada diretora do Grupo Escolar “Erasmo Braga”em 1932 e Grupo Escolar ”São Paulo “em 1933-Nomeada auxiliar da Escola-Modelo  "Caetano de Campos "em 1935-Nomeada Diretora da Escola- Modelo da Capital " Caetano de Campos" em 1939- Conseguiu verba para construir o novo auditório-Inaugurou o Lanche Escolar ( sob responsabilidade das normalistas-Reorganizou a Biblioteca Infantil que foi dirigida por Iracema Silveira por mais de 30 anos-Reorganizou o Centro de Puericultura ( fundado por Almeida Jr em 1933- Deu especial atenção as pessoas com deficiências visuais e auditivas e necessidades especiais-Organizou reuniões de estudos com profs. primários para atualização de conhecimentos pedagógicos- Organizou provas objetivas para exames organizados pelo Laboratório de Psicologia- Organizou através de testes classes seletivas para maior adequacyão e rendimento do ensino primário- Nomeada para a Secretaria da Educação em 1948-Nomeada Diretora- Superintendente do Instituro de educacão "Caetano de Campos”em 1954- Nomeada Secretária da educação em 1955 pelo Governo Jânio Quadros- Título de ”Servidor Emérito”aos 29 de outubro de de 1955- Aposentadoria no cargo de Secretária da Educação após mais de 40 anos de valiosos serviços ao magistério paulista.

    1948-1951-Prof. Francisco Cimino-Estudos primário, secundário e normal em São Carlos-Adjunto do Grupo Escolar de Jaboticabal-Diretor do Colégio Estadual e Escola Normal de Pirassununga-Professor da Escola Normal Livre de N.S. do Amparo- nomeado 1* Diretor Superintendente, criado no I.E. "Caetano de Campos" pela Lei n*861 de 27/11/50- Removido para Escola Normal e Ginásio Estadual “Anhanguera”na capital em 9/02/50

    1951-1953-Mário Marques de Oliveira nasceu em São Paulo, em 18 de outubro de 1894. Filho de Benedito Marques de Oliveira e Isabel Maria da Luz, mostrou-se, desde jovem, apaixonado pela Educação. Idealista e dedicado, revelou-se grande organizador.Sua atuação se refletia por todo o Estado e onde surgisse a necessidade de um bom Diretor, o Governo ia buscá-lo onde estivesse.Foi o sétimo presidente da Apesnoesp, tendo patrocinado várias sessões, nas quais dava total apoio ao Fórum de Debates Educacionais. Este foi o primeiro organismo que congregou, numa missão cultural e pedagógica, o maior número de entidades representativas do Magistério de São Paulo.Homem de carter firme, de sensibilidade e de alta formação humanitária. Foi um grande conhecedor dos problemas educacionais brasileiros.Sua carreira pelo Estado comprova a sua paixão, sua capacidade e sua dedicação ao ensino.
    Formou-se professor, com distinção, pela Escola Normal da Praça da República. A partir daí, recebeu sucessivas nomeações: professor do Grupo Escolar de Curralinho (1916); diretor das Escolas Reunidas de Nuporanga (1920) e do Grupo Escolar das Cidades de Pirajuí, Orlândia, Pedreiras, Xiririca e Botucatu (1930), professor de Pedagogia e Didática da Escola Normal Livre de Pindamonhangaba (1930); professor fiscal da Escola Normal Livre de Catanduva (1931); diretor do Ginásio Estadual de Catanduva (1932), sem prejuízo das funções de professor fiscal; professor da primeira seção de Educação do Curso de Formação Profissional da Escola de Normal do Liceu Rio Branco, em Catanduva (1933); professor de Educação da Escola Normal Livre de Ja, (1936); dretor da Escola Normal Peixoto Gomide de Itapetininga (1939); diretor do Ginsio Estadual de Santos (1940); diretor do Ginásio Estadual da Moóca (1946); diretor do Ginásio Estadual Antônio Firmino de Proença, em São Paulo (1948).Em seguida, foi convidado a reestruturar a Escola da Praça República, sendo, em 1951, designado Diretor Superintendente do Instituto de Educação Caetano de Campos. Durante esse período, exerceu cumulativamente as funções de membro do Conselho Técnico da Secretaria de Estado da Educação.Em 1955, aposentou-se, aps 39 anos de dedicação à Educação. Faleceu em 30 de maio de 1973, com 79 anos, em São Paulo. 

    1953-1954- Carolina Ribeiro-( vide 1939-1947)

    1955-1960-Prof. João Carlos Gomes Cardim- Cursos primário, complementar e Normal no “Caetano de Campos "- Cursou novamente nessa escola os cursos reorganizados da Normal Primária e Normal Secundária, diplomando-se em 1912 e 1914 respectivamente- Viajou para o Espírito Santo, em companhia do Prof. Carlos Alberto Gomes Cardim (pai), quando este foi encarregado da reforma do Ensino Público nesse Estado- Ingressou no Magistério como professor da Escola Noturna para Adultos, em Santo Amaro, onde permaneceu até 1931- Professor do Curso Noturno do Instituto de Educação “Caetano de Campos”- Diplomado pela Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo em 1929-Médico efetivo da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo- Catedrático de Biologia Educacional do Curso Normal do “Caetano de Campos” -de 1954 a 1959 foi assistente de Diretor superintendente do Instituto “”Caetano de Campos”-Diretor Superintendente desse Instituto de 1955 até 1960 e depois de 1964 a 1966

    1960-1961- Prof. Raul Schwinden

    1961-1963-Prof. Orestes Rosolia-O professor Orestes Rosolia assumiu o lugar do então diretor Raul Schwinden em 1961, ficando no cargo até 1963.O educador nasceu em 10 de setembro de 1905.Trabalhou em escolas particulares desde 1925 , era professor de História com conhecimento de latim, grego, francês e italiano.Foi professor concursado de História Geral e do Brasil do Instituto de Educação Caetano de Campos (1939 a 1966).Foi catedrático em História da Civilização na Escola Normal , além de ter atuado em jornalismo.Foi vice-diretor indicado pela respectiva Congregação do Instituto de Educação Caetano de Campos;Foi diretor superintendente substituto do Instituto de Educação Caetano de Campos (1961à 1963), depois continuou na escola lecionando até 1966.Foi professor da Faculdade de Filosofia São Bento, da Pontifica Universidade Católica de S.P. e diretor pedagógico da Escola Normal Particular Dante Alighieri, do Colégio Dante Alighieri (1966 a 1969).Escreveu as obras  “A garimpeira do Rio Manso”da editora A Gazeta , na década de 1920; “História do Brasil – 3a série”, de 1944,  “História Geral”,  ambas publicadas pela Francisco Alves.Rosolia também foi autor do romance “Marília , a noiva da Inconfidência”, publicado em 1933 pela editora Unitas.Faleceu em janeiro de 1981.

    1964-1966-Prof. Dr. João Gomes Cardim (vide 1955/1960)


    1966-1967-Prof. Maria Helena Figueiredo Steiner-Cursos primário, secundário e Normal no Instituto de Educação “”Caetano de Campos”de 1933 a 1945- Cursos superiores de Psicologia e Pedagogia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP-Ingresso no magistério Primário em 1951 no Grupo Escolar do Bairro do Rio Pequeno, Capital- Ingresso no magistério secundário por concurso especial, em 1961,para a cadeira de Sociologia Educacional- Professora contratada para Sociologia Geral e Educacional do instituto de Educação “Caetano de Campos”, inclusive dos cursos de Administradores Escolares e Aperfeiçoamento de professores primários- Catedrática da Cadeira de Sociologia Educacional a partir de 1961- Professora de Psicologia geral do Desenvolvimento e do Adolescente na Faculdade de enfermagem de São Paulo- Prof. contratada para instrutora na cadeira de Psicologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP- Diretora Superintendente do I.E.C.C. em 1966

    1967-1971-Prof. Yolanda de Paiva Marcucci- Diplomada pelo curso de Administradores escolares da Universidade de São Paulo em 1936- Diplomada pelo Curso de Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP em 1939-Diplomada pela Faculdade de Direito da USP em 1952-Membro da Association Internationale d” Orientaction Scolaire et Profissionaille, secção da Universidade de Madrid-Catedrática de História da Educação do Curso Normal, do Instituto de Educação ”Caetano de Campos”em 1955- Prof. contratada de Literatura Didática do Curso Normal do inst. “Caetano de campos”- Diretora do Inst. De Ed. “Caetano de Campos” para substituir por 2 anos D. Carolina Ribeiro de 1947 a 1949- Relator por duas vezes do Projeto de Reestruturação do IECC no governo Carvalho Pinto e, posteriormente quando Secretário da Educação o Dr. Ataliba Nogueira- Diretora de 1967 a 1971 do IECC por indicação da Congregação desse Insituto.

    1972-1976 -Prof. Fábio de Barros Gomes

    1977- até a saída dos alunos do Prédio da Praça Prof. Jorge Araújo Cintra do Amaral

     

    1846-1867- Dr. Manuel José Chaves

     

    1851-1872 -Dr Diogo de Mendonça Pinto- 1* inspetor geral da Educação pública

     

    1875-Francisco Aurélio de Souza Carvalho

     

    1880-1882-Vicente Mamede de Freitas

     

    1882-1884-Paulo Bourroul

     

    1884-1887- José Estácio Correia de Sá Benevides

     

    1887-1889-Cônego Manoel Vicente da Silva

     

    1889-Desembargador Manuel Jorge Rodrigues

     

    1890-1891- Dr. Antônio Caetano de Campos

     

    1891-1898- Gabriel Prestes

     

    1898-1901-Dr. João Alberto Salles

     

    1901-1920- Oscar Thompson

     

    1910 à 1914- Ruy de Paula Souza

     

    1920-1921- Prof. José Augusto de Azevedo Antunes

     

    1921-1924- prof. Renato Jardim

     

    1924- de junho à outubro- Pedro Voss

     

    1924-1925-Arnaldo de Oliveira Barreto

     

    1926-1928- Carlos Alberto Gomes Cardim

     

    1928-1930- Dr Honorato Faustino de Oliveira

     

    1930-1933 e 1938-1939- Prof. Firmino de Proença

     

    1933-1938- Dr. Fernando de Azevedo

     

    1939-1947 e 1953-1954- prof. Carolina Ribeiro

     

    1955-1960- prof. João Carlos Gomes Cardim

     

    1960-1961- prof. Raul Schwinden

     

    1967-1972- prof. Yolanda de Paiva Marcucci

     

    1972-1976- prof. Fábio de Barros Gomes

     


    Fontes: Jornal Nosso Esforço- 1* semestre de1967-

    Fotos: arquivo da biblioteca "Caetano de Campos"- CRE Mário Covas

     



    Voltar