OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

Documentários e entrevistas gravadas

  • Terça-Feira, 14 de Fevereiro de 2012
    Ruy Botti Cartolano
  •  

    Ruth Cartolano, esposa do maestro Ruy Botti Cartolano conta sobre a trajetória do nosso querido professor e maestro que desde a década de 1940 deu aulas de canto orfeônico na nossa escola.
    O prof. Rui , à princípio dava aulas para as crianças do ginásio, mas no final da década de 1950 começou a trabalhar com as normalistas, que tinham aulas com ele regularmente.
    No entanto, ele era responsável por ensinar para as crianças do ginásio todos os hinos possíveis e imagináveis. Eu não me esqueço de quando aprendi com ele a cantar corretamente o Hino Nacional, na década de 1970. Eu achava ele meio bravo, mas depois que ouvi tantas ex-alunas normalistas acharem ele a "coisa mais fofa do mundo" ( ele ganhou até uma faixa com os dizeres "mister fofinho" numa excursão com alunas), fiquei pensando que se tratava da tal postura que um maestro deveria ter, como declarado por D. Ruth.
    Enfim, ele começou como um garoto prodígio em sua pequena cidade de Rio Claro, nasceu naquela cidade aos 13 de novembro de 1916, e iniciou seus estudos musicais aos 9 anos de idade; veio para São Paulo e ganhou inúmeros prêmios e concursos, um deles no Conservatório Dramático e Musical ,onde estudou de 1929 à 1932, formando-se professor.
     O Conservatório era dirigido pelo prof Carlos Gomes Cardim, que havia sido diretor da Escola Normal, ganhou um piano como prêmio num concurso que durou 4 dias, que ainda está na sala de sua casa ;foi amigo de Guiomar Novaes e Madalena Tagliaferro ( tem fotos delas com dedicatória em seu escritório), tocou com Arthur Rubinstein, que o convidou para tocar na Europa, mas nunca quis sair do Brasil, era muito apegado à sua mãe e como disse D. Ruth, preferia ficar no conforto do lar à seguir uma carreira internacional.
     Ensinou órgão na Unesp, tocou esse instrumento na Igreja da Consolação por muitos anos, deu aulas particulares, escreveu vários livros com métodos adotados até hoje, compôs músicas com a colaboração de amigos que escreviam as letras, como em 1932 com uma pessoa não identificada ou o com o prof e diretor da Escola Raul Schwinden, em 1956, com o Hino de Santos Dummont, em matéria publicada, clique aqui.
    Enfim, uma vida dedicada à música e ao magistério, uma pessoa querida por todos os alunos e colegas.

     

     

     

    São Paulo Invicto - A idéia da redenção está no centro da marcha São Paulo Invicto, que teve letra composta por um não identificado F.C.S. e melodia de Ruy Botti Cartolano: os bandeirantes paulistas sairiam em busca de louros, para alcançar a redenção do País; morreria, sem tremer, a parte melhor de São Paulo, que assim, reviveria os grandes feitos esquecidos do passado.
    Por esse início, que começa com um sinal militar, São Paulo seria na guerra invicto, tal como sempre fora na paz. O povo bandeirante deveria ir avante, sempre avante, vencer com fé pelo bem do Brasil. Seria da energia paulista que o Brasil esperaria o seu grande futuro:

        É da tua força,
        oh! Povo Paulista
        Que o Brasil hoje espera a conquista
        De um futuro radioso de glória
        Que lhe darás com a tua vitória

      Prêmio- 1939

     

     O jovem Ruy Botti Cartolano
     

       Década de 1950

     

     Por ocasião das comemorações do 4* Centenário de São Paulo- 1954

     

    Continuação da matéria acima

     

    Em 1954- Em comemoração do 4* Centenário no auditório da Escola Caetano de Campos-
     Foto: Elyseu Guilherme salgado Rocha

     

    1956- Hino a Santos Dummont cantado pelo orfeão no Teatro Municipal

     

     

     Apresentação do livro "Canta , Mocidade "- Hinos e Cânones
     

     

     

     

    Com alunas, meados da década de 1970

     

    Com alunas,final da década de 1970

     

    1978- dedicatória a uma aluna

    Fonte: arquivos pessoais do prof. Ruy



    Voltar