OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

Documentos em geral   Notícias

  • Quarta-Feira, 07 de Dezembro de 2011
    Colgio Roosevelt dentro do Caetano de Campos
  • No ano de 1946, no curso noturno, a Escola recebeu alunos do curso do Colégio Estadual Presidente Roosevelt, os quais permaneceram até 1950. Em alguns documentos guardados no acervo da Escola, aparecem correspondências a respeito de como uma "confusão generalizada"estava ocorrendo dentro do prédio da Escola. O diretor da época foi Francisco Cimino ( 1950/1951) que foi "denunciado"por inúmeras irregularidades e mesmo antes dele assumir a direção da escola em 1948, o Diário Oficial questionava a legitimidade do Colégio Est. Pres. Roosevelt estar dentro do Caetano de Campos.
    Segundo o depoimento da colega Eloísa Salvato, que estudou na Escola na década de 1950:

    >> "O que aconteceu na época é que havia muito Grupo Escolar, que era primário. Depois da guerra começou uma grande procura para o Ginásio e Colegial. Não havia prédios suficientes e esses cursos eram dados nos prédios de Grupos, à noite. Criou-se esse monstro, que é uma escola, dentro de outra. Eu mesma fiz o clássico  no C.E. "Brasílio Machado", que funcionava no Grupo Escolar Mal. Floriano. Eram duas escolas diferentes, mesmo porque os diretores de Grupo não eram habilitados para serem diretores de Ginásio e Colégio. Eu não pude ficar na Caetano porque só tinha magistério.

    Se hoje existe professores apanhando de alunos, naquela época aparecem histórias de dentro das salas de aula e até mesmo o contrário: um aluno foi "esmurrado"pelo professor de Educação Física até desmaiar na aula, quem diria? Eu comecei a ler estes documentos e comecei a rir, não do fato ocorrido, é lógico, mas da maneira como foi descrito : nem tudo foi um mar de rosas dentro da nossa Escola!

     

    Diário Oficial de 1948- questionando o procedimento a ser adotado pelo diretor do Caetano em relação aos alunos da outra escola- assinado pelo deputado Rubens do Amaral, que depois é citado em 1950

     

    Em 1950, o Curso Clássico é incluído na Escola- aparece uma citação do Colégio Estadual  Pres. Roosevelt

     

    Oscar Resende de Lima- Inspetor Federal do Colégio Pres. Roosevelt- desde 1946

     

    Aqui a história se complica: leiam todo o documento porque é muiiiito interessante, aparece de tudo: denúncias e brigas- 1950

     

    Tentativa de "linchamento"do médico da Escola pelos alunos ( o médico havia "esbofeteado "um aluno, o que causou a ira dos colegas, o caso foi descrito em outro documento pela prof. Marina Cintra), desacato à prof. de Francês durante exame final, quando o presidente da banca "atracou-se" com o aluno em defesa da professora. Além dos alunos do Grêmio ( alunos do ginásio) ficarem jogando cartas e dados, coisas ofensivas à moral, etc...

     

           1950- alguém não gostava do diretor....prof esmurra aluno



    Voltar