OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

História da escola

  • Sexta-Feira, 27 de Maio de 2011
    A Escola pioneira
  • A Escola Normal, foi a primeira escola de professores de São Paulo, criada em 1846.

    Em 1890, Caetano de Campos criou a primeira Escola-Modelo, que era a escola primária, com a ajuda de duas mulheres espetaculares: a americana  Miss Marcia Browne e Maria Guilhermina Loureiro Andrade, ambas com experiência em Educação Presbiteriana, que foram apresentadas à Caetano de Campos, pelo diretor da Escola Americana Horace Lane ( posterior Mackenzie College).

    Após a criação desta Escola-Modelo, foi criada a "Revista Eschola Pública", pelo então diretor Oscar Thompson, em 1893, onde ele e outros professores compartilhavam as experiências com os métodos adotados em aula.

    Foram introduzidas desde 1890 aulas de Educação Física, com aulas de esgrima e exercícios militares com carabinas, para os meninos, além das aulas de "gymnástica" dentro das salas de aula, entre uma matéria e outra.

    Em 1896, Gabriel Prestes, então diretor da Escola Normal ,funda o primeiro Jardim da Infância ( ensino público) do Brasil.É criada a revista "Jardim da Infância".

    Em 1906, os normalistas do grêmio 2 de agosto criam a Revista "O Estímulo". Muitas coisas que aconteciam na Escola é descrito nesta revista.

    Em 1914 foi criado o primeiro gabinete de Psicologia e em 1927 já eram aplicados testes Psicotécnicos em um Laboratório de Psicologia Experimental , onde eram realizados testes através de aparelhos para medir fadiga,tempos de reação, as sensações cutâneas, visuais e auditivas; para determinar a atenção e percepção , a acuidade visual e auditiva; bem como baterias de testes para classificar o nível mental, a atenção, a memória, o caráter, a personalidade e para orientar racionalmente os ofícios e as profissões.

    Em 1914 já existia na escola os Laboratórios de Psicologia, havia os de  Física, Química e Biologia. Sampaio Dória, Lourenço Filho, Almeida Jr. e Noemi Rudolfer foram figuras de destaque nesses laboratórios.

    O  Prof. Carlos Alberto Gomes Cardim,vice diretor em 1910 e diretor  da escola de 1925 a 1928,( foi diplomado pela escola em 1894) ,foi o responsável por cultivar a arte na escola, através da música, poesia , teatro e canto orfeônico, a primeira Escola do Brasil a ter esta cadeira, desde a Reforma de 1890. O que mais tarde deu início ao curso de especialização e gerou o primeiro conservatório estadual de Canto Orfeônico ( 1963),  posterior Faculdade de Música.

    Foi através de Carlos Alberto Gomes Cardim que se criou a Biblioteca Infantil do curso primário, a primeira de escola pública do Brasil, em 1925.

    Na década de 1920, diversas escolas foram criadas pelos professores do Caetano de Campos: Licée Pasteur, Colégio Rio Branco, Primeira Escola Montessori, Ginásio Macedo Soares, Elvira Brandão , Ophélia Fonseca, Ginásio Caetano de Campos ( este partiular, criado por Firmino de Proença), Primeira Escola de Marinheiros, Primeira Escola de Grumetes ( os dois últimos no Rio de Janeiro), entre outros.

    A escola teve importante papel na fundação de inúmeras escolas normais de todo o Brasil. Seus professores eram mandados para cada estado e ajudavam na formação das Escolas.

    Foi na Escola que as primeiras cartilhas do Brasil foram criadas, além dos livros de leitura infantis, o que colaborou no desenvolvimento da área editorial no país.

    Fernando de Azevedo, dirigiu a escola de 1933 a 1938, transformou a Escola Normal em Instituto de Educação Universitário além da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras lá permaneceu até 1949,  no terceiro andar construido para este fim. Deve-se lembrar que a Faculdade de Filosofia Ciências e Letras era formada de professores da Escola Normal e posteriormente de professores estrangeiros. Depois de sua criação é que puderam ser unidas a ela a Faculdade de Medicina, a Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, a Escola Politécnica, formando assim a USP, em 1934.       

    Através dele e de Almeida Junior que foi criado o Centro de Puericultura em 1933 e que funcionou até 1972. Lá as alunas do Curso Normal praticavam as aulas de higiene, alimentação infantil, cuidados com bebês . Com a participação de Pérola Biyngton e sua Cruzada Pró-Infância foram feitos os concursos de Robustês infantil.

    Nos anos 1930 a escola foi equipada com aparelhos audio-visuais para a elaboração de filmes educativos, além de diascópios, episcópios, gramofones, vitrolas, gravadores,máquinas fotográficas, projetores cinematográficos e estereoscópios, fitas e discos sonoros, filmes 16mm- sugere a força que tais equipamentos alcançaram no cotidiano escolar nos anos30/40/50, bem como a presença que marcaram na educação em várias gerações.

    Inúmeros livros didáticos foram criados pelos professores da escola no pós-guerra para substituirem edições estrangeiras, que muitas vezes nada tinham em comum com a realidade brasileira.

    Prof. Maria Helena C. Figueiredo Steiner ( 1933 a 1945), ministrou cursos de Sociologia geral e educacional, administração escolar  e aperfeiçoamento de professores primários. Foi também professora de Psicologia geral do desenvolvimento do adolescente. Cursos pioneiros levados posteriormente para outros estabelecimentos de ensino, tais como  Pedagogia e Administração Escolar.

    Em 1947 O curso de especialização para a educação de deficientes visuais foi integrado no Instituto de Educação Caetano de Campos. Foi o passo inicial, real,concreto e objetivo para que a educação de cegos se integrasse como um processo dentro da própria educação brasileira. Em 1967, foi criado o curso de especialização, em caráter experimental, a formação de professores de alunos exepcionais.Criou-se salas especiais para cegos e deficientes auditivos.A primeira aluna cega foi Dorina Nowil, que ingressou no Curso Normal na década de 1940 e formou-se em primeiro lugar. Depois ela tornou-se professora da Escola Normal, onde lecionou no curso de especialização para deficientes visuais.

    Cecília Bueno dos Reis Amoroso, professora de Metodologia e Prática do Ensino Primário, criou e desenvolveu um método de alfabetização e de aprendizado de matemática aplicados nos alunos do primário da escola, nos anos 50, 60 e 70 que depois foi adotado por diversas instituições de ensino no Brasil.

    A escola desde os primórdios comemorava datas históricas e festivas de maneira grandiosa ,uma marca registrada da instituição: havia uma mobilização por parte de professores e alunos, uma tradição perpetuada ao longo de toda a existência ali no edifício da Praça. Nessas ocasiões recebeu figuras ilustres, como Presidentes da República,  a Família Real Belga , nos anos 10, Governadores, Prefeitos, Ministros, enfim um instituto sempre muito conceituado em nossa sociedade.

      A escola transformou-se na chegada da década  de 1970, com a lei de ensino e novas diretrizes aboliu o exame de admissão para o ginásio e criou o curso Colegial. Métodos experimentais foram adotados.
    A escola era dinâmica,independente, sempre se modernizando. Porém, em 1975, por vontade do então secretário de educação José Bonifácio Coutinho Nogueira, deixou de ser Escola- Modelo, entrando para a Rede Estadual de Ensino e perdendo assim todo o caráter de escola experimental, sendo nivelada com as outras escolas públicas do Estado.


    Não se questiona a importância do Instituto em toda a sua existência como sendo pioneiro na formação de profissionais da área de Educação, na criação de cursos depois difundidos em todo o Brasil, do caráter de novas propostas pedagógicas sempre evoluindo com o passar dos tempos, dos valores passados por todas as gerações que ali passaram, numa época onde os professores eram respeitados e os alunos sentiam orgulho de serem Caetanistas.
    Foi no ano de 1977 que a Escola encerrou as atividades no prédio da Praça. Alunos foram transferidos para duas outras unidades, uma na praça Roosevelt e outra na Aclimação. Grande parte dos professores removeram-se para escolas particulares ou anteciparam a aposentadoria.  A Escola e o Ensino público nunca mais foram os mesmos, alguém duvida?



    Voltar