OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

Histórias Caetanistas

  • Terça-Feira, 18 de Outubro de 2011
    Por Marcos Franciscato Soares
  • Por Marcos Franciscato Soares

    Segue  as grandes peripécias de nossa juventude-


    Chapa preta foi criada em 1972  ou 1973 ( quinta ou sexta série) para ser um Diretório Acadêmico (que bobagem)
    Foi feito um pleito em todas as salas de aula com o candidato único (Ricardo Mesquita) com seu vice-presidente (eu) e a Diretoria composta por Antonio Carlos de Souza Machado(Alemão) ,Wilson Pinheiro de Castro Filho , (Wilsinho)
    Mauro José Soares de Andrade (Maurão) , Agnus Dei Sabino Leonardo, Claude e Jean .
    Pois bem , andamos desde o Jardim da Infancia até as salas do Colegial em todos os turnos prometendo piscinas  (naquele espaço que parecia um aquário  nos fundos da Escola), quadras cobertas ( com piso especial), cantina no 3* andar e cinema no auditório .
    Fizemos um lençol da altura do 3* andar até o  recreio todo preto ( chapa preta), ganhamos e até hoje estão esperando todas essas melhorias. Coisas de político.  O único intuito era ganharmos uniformes para participarmos dos jogos estudantis . Coisa de quem não tinha nada pra fazer; mas foram momentos gratificantes pois fomos empossados em pleno auditório  nada mais nada menos que pelo Diretor Fábio e pelo seu fiel escudeiro Ubirajara. Conseguimos que até o festival de música da semana do Caetanista  fosse realizado.


    Outra  história:


    Tour pelo sótão da Escola



    Descobrimos que atrás do beco tinha uma passagem por aquela janelinha  bem ao lado da escada que levava até a cantina  e que saia no porão bem abaixo do auditório . Através desta passagem fomos subindo uma escada, na lateral do palco, e que chegava até o teto da escola. Após a descoberta fomos fazer um tour e descobrimos verdadeiras obras de arte:  já na subida por essas escadas de mármore  fomos descobrindo uniformes antigos  do Caetano nas cores bordô e verde . Agasalhos com essas cores e gola branca . Bandeiras,   flâmulas  ,bolas de couro e  mais outras coisas :  estátuas ,quadros,  relógios antigos, lustres ,carteiras super antigas com lugar para colocar tinta, abajures,  vitrais, portas de madeira todas trabalhadas , arquivos.
    Após a descoberta começamos a fazer grupos para o tal tour com limitação de 5 alunos por viagem .Deixamos nossos nomes gravados em giz nas paredes e travessas de madeira que possivelmente estão lá até hoje. Teve um dia que subimos em 10 alunos e o seu Inácio nesse dia resolveu verificar o que acontecia , pois o barulho era intenso até que um aluno  que não lembro o nome pisou num lugar que não devia  e  seu pé furou o piso que era teto de uma sala de aula  no 3 andar,o que foi  uma loucura total : todos nós saimos correndo  do jeito que dava! Vou escrever abaixo alguns desbravadores históricos destas aventuras.
    Após o furo do teto lacraram nossa entrada com madeira e ferro, uma pena,  pois tinhamos muito mais para conhecermos.


    Claudio Barata Ribeiro Filho(Panela)
    Mauro José Soares de Andrade(Maurão)
    Agnus Dei Sabino Leonardo
    Miguelzinho
    Ubiratan
    Agostinho
    Edmilson
    Marcelo Toschi (Galo In Memorian)
    Ubaica
    Junior
    Marcos Franciscato Soares(Marquita)   

    Se alguem que eu deixei de lembrar fez parte desta maravilhosa viagem coloque seu nome aqui.


    bjs
    Marquita



    Voltar