OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

Histórias Caetanistas

  • Terça-Feira, 01 de Novembro de 2011
    Uma histria de 1900
  •  

    Cerca de 1900- Alunos em aula de desenho de observação no pátio de escola



    O carioca Alfredo Moreira Pinto que em 1866 após bacharelar-se em Belas Artes ainda no Rio de Janeiro, vem para São Paulo começar o curso de Direito no Largo São Francisco. Não se forma e volta ao Rio de Janeiro retornando à capital paulista somente trinta anos depois. Com as profundas modificações na cidade, é tomado de surpresa, o que resulta num relato de viagem denominado “A Cidade de São Paulo em 1900 - impressões de viagem” (Rio de Janeiro. Imprensa Nacional, 1900). Sobre suas impressões acerca do edifício Caetano de Campos (p. 111-119):
    ESCHOLA NORMAL
    Eis um edifício que faz honra e constitue motivo de justo orgulho á cidade de S. Paulo.
    Rival das primeiras escolas normaes da Europa, é elle um edifício monumental, não só debaixo do ponto de vista da instrucção como pela construcção que enaltece a reputação do Dr. Ramos de Azevedo, eximio architecto.
    As suas divisões internas são perfeitas, não deixando nada a desejar, primam ellas pelo extraordinario asseio que apresentam e pelas espaçosas salas que possuem.
    Pena é que tão soberbo edificio seja acaçapado em relação á vasta praça em que
    está situado. O seu corpo central, pareceu-me baixo e não muito obediente ás regras de
    architectura, pois não se eleva acima do nivel do resto do edifício.
    Acha-se situada a Escola Normal na praça da Republica, entre as ruas Araujo e Ypiranga.
    É de estylo da Renascença e apresenta em seu conjuncto a fórma de um E maiusculo.
    Compõe-se de tres corpos: um central e dous lateraes, tendo todos 86 metros de desenvolvimento de frente, 50 de fundo e 14 de altura, unidos por duas vastas alas, com 16 janellas de frente cada pavimento.
    O corpo central tem tres janellas de sacada e duas de peitoril no segundo pavimento e duas janellas e tres portas no primeiro.
    Nos corpos lateraes ficam quatro estatuas representando as sciencias e nos flancos outras quatro representando as artes.
    Está situado no meio de um vasto e primoroso jardim, tendo na parte posterior grandes pateos para recreio dos alumnos.
    A escada que dá accesso para o primeiro pavimento é de alvenaria com dous lampeões de cinco bicos electricos e as que dão entrada para o pavimento superior são de
    marmore branco.
    Sem contar o vestibulo e os corredores, o edificio contém 79 salas, umas utilisadas com as aulas do Curso Normal e da Escola Modelo, e outras com a administração, museu e gabinetes.
    Acham-se alojados no corpo central a secretaria, a biblioteca, os laboratorios de physica, chimica e o amphitheatro destinado ás aulas de physica e chimica e aos exercicios de canto e declamação dos alumnos de ambos os sexos da eschola modelo Caetano deCampos, annexa á Escola Normal.
    A blibliotheca, fundada em 1880, occupa duas acanhadas salas com 14 estantes, tendo em cima galerias com o mesmo numero de estantes. Nella acham-se cerca de 7.000 volumes, quasi todos de obras didacticas, catalogados e zelosamente tratados, um telescopio Foucault, um equatorial, uma esphera armilar, uma celeste e dous globos
    terrestres.
    No gabinete de physica encontram-se todos os instrumentos necessarios ao estudo dessa disciplina, taes como machinas pneumaticas, machinas de compressão, hemispherio de Magdeburgo, balança hydrostatica, lentes e espelhos, pilhas electricas de diferentes autores, motores, locomovel, locomotiva, etc.
    No gabinete de chimica acham-se todos os reactivos destinados a diversas combinações e experiencias.
    No amphithetro existe um tableau para experiencias electricas e illuminação, tendo communicação com um dynamo situado na parte inferior.
    Dos dous lados do primeiro pavimento funccionam 14 salas de estudo, sendo 10 para o curso preliminar e 4 para o comlementar. As salas teem capacidade para 45 alumnos e estão montadas com o maior esmero e rigor pedagogico. Dispoem ellas de bancos carteiras, isolados, systema americano Chandles, mappas muraes e quadros para o ensino intuitivo de Deyrolles e Mme. Carpentier.
    No corpo central do segundo pavimento existem o bem ornado salão de honra, a sala dos professores e os gabinetes de anatomia e sciencias naturaes.
    Neste ultimo encontram-se passaros, animaes de diversas ordens, insectos, uma escolhida collecção de mineraes, plantas textis e alimentares, conchas, etc.
    No gabinete de anatomia acham-se diversas peças do corpo humano, esqueletos de diversos animaes, um manequim anatomico, um esqueleto humano montado e variosmappas para o estudo da anatomia.
    Nas alas lateraes ha nove salas de aulas destinadas: as da direita ao sexo feminino e as da esquerda ao sexo masculino, da Escola Normal.
    Nos fundos desta parte do edificio, nos dous pavimentos, ficam quatro salas de cada lado destinadas ao ensino omplementar de ambos os sexos.
    O gymnasio funcciona entre o jardim de infancia e a Escola Normal no meio de dous bellos jardins.
    Compõe-se de um corpo central e dous alpendres lateraes para abrigo dos alumnos.
    No corpo central é onde está a gymnastica pedagogica, constituida por escadas de corda, argolas, barra fixa, cordas lisas, dardos, alteres, bastões de páo e de ferro, espadas, floretes, estes ultimos na parte destinada a exercicios de esgrima.
    Nos fundos do Gymnasio fica o Jardim da Infancia, completamente isolado do resto do edificio e cercado por um vasto jardim.
    É o Jardim da Infancia uma instituição monumantal e unica em seu genero em toda a Republica.
    Destina-se a tomar a criança aos tres annos de edade, ministrar-lhe o ensino dos sentidos e assim preparal-a para o ensino preliminar.
    Está confiada a senhoras do mais desvelado carinho e da maior competencia, possuindo todas um dom especial para encaminhar as crianças entregues á sua meternal direcção.
    Jamais experimentei em dias da minha vida uma satisfação tão grande como quando penetrei nesse recinto de anjos.
    Vêr as preceptoras ensinarem e vêr aquelles pirralhos, com uma attenção fóra do commum, no meio do mais religioso silencio, prestarem a maior attenção ás expicações que lhes eram dadas, constitui para mim uma surpreza e um espectaculo verdadeiramente edificante. Era bello de vêr-se as preceptoras interrogarem as crianças e a luta que estabelecia-se, procurando todas responder ao mesmo tempo. Si alguma ficava retardataria nasrespostas ou não respondia ás perguntas que lhes eram feitas, a professora admoestava-a com carinho e a criança, envergonhada, deixava correr pelas angelicas faces dous fios de lagrimas.
    Dão accesso ao Jardim duas escadas em fraca rampa com degráos quasi microscopicos, assim construidas para evitar que as crianças caiam ao subil-as.
    Dispõe de quatro salas de aulas e um salão de honra, no centro, de fórma octogonal, coberto por um vasto zimborio metallico, onde se acham pintados á oleo, entre outros, os retratos de Fröbel, Pestalozzi, Rosseau e Mme. Carpentier. Abaixo do zimborio ha uma galeria sustentada por columnas de ferro, destinadas ao publico por occasião de festas.
    Annexos so Jardim ha quatro compartimentos utilisados em gabinetes de toilette das professoras, sala de visitas e gabinetes de trabalho da inspectora.
    Aos lados e no meio do Jardim erguem-se dous formosos pavilhões para recreio das crianças.
    Todo o edifício está dividido em eschola normal, eschola preliminar e complementar e Jardim da Infancia, tendo matriculados perto de 1.200 alumnos de ambos os sexos.
    O curso da Eschola Normal é de quatro annos, nos quaes são professadas as seguintes disciplinas: portugez, francez, inglez, latim, arithmetica, algebra, geometria emecanica e astronomia, physica e chimica, historia natural, anatomia e physiologia, geographia, historia, pedagogia, desenho, musica, economia domestica, escripturação mercantil e gymnastica.
    Seu corpo docente é distinctissimo.
    A sessão inaugural do edifício da Eschola Normal foi celebrada a 2 de agosto de 1894.
    O restauro do antigo edifício do instituto Caetano de Campos trata-se, portanto, não só de um testemunho de uma construção qualificada e atualizada ao pensamento construtivo da época também na Europa, mas também de uma nova etapa do ensino no país.
    Justificam-se, portanto, todos os esforços em preservar o monumento e garantir ao mesmo a justa valorização de seu significado histórico e cultural, garantindo-lhe a adequada Inserção na Praça e na Cidade devolvendo-lhe sua plena significação coletiva de consolidação de consciência da estabilização da Nação democrática.

    BIBLIOGRAFIA
    CARVALHO, Maria Cristina Wolff de. Ramos de Azevedo. São Paulo, EDUSP, 2000.
    CORRÊA, Maria Elizabeth Peirão; MELLO, Mirela Geiger de; NEVES, Helia Maria Vendramini
    (orgs). Arquitetura Escolar Paulista - 1890-1920. São Paulo, FDE – Diretoria de
    Obras e Serviços, 1991.
    CORRÊA, Maria Elizabeth Peirão; FERREIRA, Avany de Francisco; MELLO, Mirela



    Voltar