OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

Matérias variadas

  • Sábado, 06 de Agosto de 2011
    Colnia japonesa no Caetano de Campos
  • O Instituto de Educação Caetano de Campos, da Praça da República foi a primeira escola pública do estado de São Paulo. Acolheu sempre os alunos de diversas origens. Com a chegada dos imigrantes japoneses, em 1908, não podia ser diferente. Mas percebe-se que, somente nos anos de 1960, a colônia aparece com mais evidência.

    Foto do Jardim de Infância do Instituto Caetano de Campos de 1927, somente uma criança da colônia japonesa, esta foto realmente é uma raridade.

     

    Foto tirada entre 1935 e 1939, em pé, na terceira fileira, terceira aluna da fila. A diretora do primário
                                         era D.Carolina Ribeiro, no centro da foto entre as alunas.

     

    Foto dos anos 1940- aluna na segunda fileira à esquerda, com laços nos cabelos

     

    Jornal da Manhã- 10 de Novembro de 1939

     

    Foto  de outubro 1954- comemoração do IV Centenário da cidade de São Paulo. A escola homenageia a colônia japonesa.

     

     

    acervo :Maria Lúcia Camargo

    No dia 13 de junho de 1958  houve um desfile dos alunos do IECC pelas ruas do centro da cidade, com carros alegóricos para a comemoração do cinquentenárioda imigração japonesa. O Hino japonês foi cantado pelos alunos do Instituto. Um jornal sobre o evento foi impresso pela escola, com um concurso de poesias para o curso Normal, com o tema da festa.
    O ministro das relações exteriores do Japão Katzuo Okazaki participou das comemorações, o governo japonês presenteia a cidade com o Pavilhão Japonês.

     

    Maio de 1967: Os príncipes herdeiros Akihito e Michiko visitam o Brasil.

     

    A princesa Michico visita hospital.

     

    Selo comemorativo dos herdeiros do Japão- 1967.

     

    Maio de 1967- Homenagem às mães japonesas no auditório da escola.

     

    Década de 1960- pequenos músicos na sala de audio-visual do Jardim da Infância.

     

    Eliane Yoshida, em 1969, com seu irmão ( futuro aluno da escola) . Ao fundo sua mãe Helena, que por muitos anos fez parte da associação de pais e mestres e como mãe voluntária ajudou na organização de festas e eventos. Naquela época a escola possuía uma unidade na frente do Jardim da Aclimação ( foi fechada em 1972) como havia muitos japoneses no bairro, muitas crianças da colônia estudaram lá. Muitos deles não falavam português, como foi o caso de Eliane, que aprendeu suas primeiras palavras do nosso idioma naquela unidade.

     

    Estes leques-convite para a Festa da Pipoca ( nossa festa junina), foi doada pelo avô de Eliane Yoshida, o leque foi decorado e distribuído pela mãe de Eliane para todos os alunos do Jardim de Infância.
    Percebe-se aí os fortes laços da escola com a colônia japonesa.

     

    Festa da pipoca- 1969, na frente, de mãos dadas Kenny Hiroshi e Rosana Kato ( filha de D. Kiyome, nossa professora). A colônia perfeitamente integrada à cultura brasileira.

     

    1970-auditório da escola: festa em que aparece várias colônias, entre elas a japonesa.

     

    1971- Márcia Chiota, acompanhada por seu pai, na festa da  Pipoca- classe de D.
                                                                Kiyome Okamoto Kato.

     

    1971-Passeio ao sítio do colega Milton Koga, eu sou a primeira à direita dele ( de rabo-de-cavalo).

     

    1971- Recebendo meu primeiro livro das mãos da minha professora D Kiyome O. Kato.

     

    2009- Eu retribuindo com meu livro à querida D. Kiyome, afinal , parte deste livro eu devo a ela.

     

    2011- Marcelo José, eu, Helena Honda e Kenny Hiroshi, amigos há 40 anos

     

     



    Voltar