OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

Matérias variadas

  • Domingo, 06 de Novembro de 2011
    Cesario Motta Jnior e a Escola Caetano de Campos
  •  

    Cesário Motta Júnior pintado por Almeida Jr
                                                                          Sem data


    Cesário Nazianzeno de Azevedo Motta Magalhães Júnior, mais conhecido por Cesário Motta Júnior, nasceu em Porto Feliz (SP), aos 5 de março de 1847.

    O sonho de Cesário era a medicina, carreira de seu pai. Mas, o grande problema era a falta de recursos. O pai médico tinha o encargo de uma família numerosa e mal ganhava para sustentá-la. Era impossível manter o filho na Faculdade de Medicina, no Rio de Janeiro.Com a ajuda de seu tio Nuno Motta doutorou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro
    Já em 1880, o teatro encontrou espaço na cidade quando Cesário Motta Júnior escreveu a comédia A Caipirinha, com o enredo retratando a Capivari daquela época, levada à cena por alguns atores amadores de São Paulo
    O Dicionário Bibliográfico Brasileiro de Augusto Victorino Alves Sacramento Blake (1893) consigna as seguintes obras de Cesário Motta Júnior: Das Condições Patognomônicas da Angina do Peito (1876); Resposta ao Questionário do Programa do Congresso Agrícola (1878); Porto Feliz e as Monções para Cuiabá (1884); e O Norte (1885).
    Cesário Motta Júnior casou-se no Rio de Janeiro com Adelina Moreira da Silva, clinicou em Capivari e tornou- se deputado na Convenção de Itu, na Assembleia Constituinte, em 1891. Proclamada a República passou a residir em São Paulo. Tornou-se conhecido e querido na cidade não só como médico, mas também por exercer ativamente sua cidadania, lutando pelas áreas da educação e saúde, preocupando-se com a higiene e o bem-estar da população.Para ele a clínica médica constituía verdadeiro sacerdócio e dava-lhe ensejo a estudos apurados.Republicano e deputado, teve presença de destaque no parlamento e na Secretaria do Interior. Ocupou cargos na área educacional. Fundou a Escola de Farmácia, a Escola Modelo da Luz, o Ginásio do Estado, o Ginásio de Campinas, a Escola Normal de Itapetininga e criou a Biblioteca Pública na capital paulista.
    Aliás, a nomeação de Cesário Motta motivou uma carta de Prudente de Moraes a Bernardino de Campos. Dizia a carta: “É mais fácil encontrar em São Paulo quem pudesse exercer a pasta de Educação, do que encontrar quem pudesse substituir a Cesario Motta no Parlamento.
    No governo de Bernardino de Campos, em 1892, ocupou a pasta dos Negócios do Interior, dedicando-se à campanha em prol do ensino e da higiene.
    Segundo Antonio de Almeida Prado, em relatório relativo às atividades administrativas do ano anterior, o secretário de Estado, Cesário Motta Júnior, aludia, em 28 de março de 1894, à criação de uma Escola de Medicina.
    Foi um dos idealizadores e sócio-fundador da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo, em 1895; sócio-fundador do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, também em 1895, onde foi aclamado por unanimidade seu primeiro presidente, conservando-se nesse posto até a sua morte, pois não se permitia seu afastamento do cargo.
    Sempre preocupado com a saúde pública, regularizou o serviço de policiamento sanitário e de vacinação. Na época, a preocupação maior era com as epidemias de cólera, febre amarela e varíola. No seu livro “Memória Histórica do Instituto Butantã”, o cientista brasileiro Vital Brasil, que conheceu de perto Cesário Motta, diz: “O grande paulista Cesário Motta não teve ação direta na fundação do Butantã, mas deve ser lembrado e homenageado como precursor da ideia da instalação, em São Paulo, de um Instituto de Soroterapia”.
    Amigos e admiradores não faltaram na vida de Cesário Motta. Mas um, a história registra com destaques. Trata-se de Caetano de Campos. Por ele, Cesário tinha todo o respeito possível. Foram colegas na medicina, confrades em ideologia política, irmãos no gênio pedagógico, amigos de confidências e até parentes por afinidades, porque a esposa de Caetano de Campos pertencia à família Motta.
    Era inteligente e carismático.
    Os familiares sempre chamavam Cesário quando tinham algum problema grave a resolver e só ele tinha o poder da solução. Reunia todos, expunha o caso e pedia opiniões.
    Ninguém sabia explicar corretamente a razão de tanta fascinação. Organizava-se batalhão escolar e era dado o nome de “Batalhão Cesário Motta”. Aparecia de surpresa, mas de maneira frequente na Escola Modelo e pedia licença para assistir às aulas. Observava o método de ensino, o aluno e até o professor. Tomava a palavra, arguia as crianças a pedido dos mestres e cativava a todos. Sua presença era motivo de festa. Os alunos o convidavam para a hora do recreio e, lá, era rodeado por todos. Caetano de Campos foi o criador da Escola Anexa à Escola Normal, a qual era dirigida por Miss Browne, em 1890. Como ele veio a falecer no ano seguinte, Cesário Motta tratou de fazer os maiores esforços para que nada faltasse a esta escola Modelo, por isso o carinho de seus alunos por ele.
    Acometido de moléstia grave transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi exercer o mandato de representante de São Paulo, no Congresso Federal.
    Cesário Motta Júnior faleceu aos 50 anos, em 24 de abril de 1897, um ano após a mudança. Estava cego de uma vista e sabia que iria perder a outra. Seu corpo foi inumado no Cemitério Municipal de São Paulo, três dias após seu falecimento.
    Cesário Motta Júnior foi honrado post-mortem como patrono da cadeira no 10 da Academia Paulista de Letras, fundada em 27 de novembro de 1909.

     

    Jornal Nosso Esforco- Marco de 1947- Homenagem feita por Carolina Ribeiro

     

     1962- foto da fachada da escola e o busto de Cesário Motta Jr

    Dentro do Hall de entrada da escola há também uma peça redonda fundida em bronze, colocada na parede ao lado de outros educadores.
     
     
    O busto de Cesário Motta Jr executada em 1909 pelo artista italiano Amadeo Zani, encontra-se agora na Praça da República. Este artista executou também, o busto de Caetano de Campos em 1930 que "passeou" pra todos os cantos da frente da escola.
     
    Década de 1930- o busto de Caetano de Campos ficava bem na frente das escadarias- reparem nas luminárias da época que foram substituidas depois
     
      1974- o busto do nosso patrono estava à direita da entrada principal




    Fonte: Hélio Begliomini
               CRE Mário Covas


    Voltar