OK
Caetano de Campos: A escola que mudou o Brasil

Turmas

  • Quarta-Feira, 28 de Setembro de 2011
    Encontro ex-alunos dia 20 de setembro de 2011
  • Eis algumas fotos do encontro dos ex-alunos do IECC no dia 20 de setembro. As fotos são de autoria de Guilherme Braga, um dos organizadores do evento. Além desta matéria , postei uma sob o título Homenagem à memória de Caetano de Campos , onde estão postados o poema de D. Cecília e meu discurso, entre outros.

     

    O evento estava marcado para as 15:00hs, mas desde às 14:00hs muitos alunos e professores já haviam chegado ( ansiedade, né?! quem aguenta?!). O evento foi todo filmado pela equipe da TV Cultura e aos poucos será divulgado pela Secretaria da Educação, que através do CRE Mário Covas atendeu ao pedido dos ex-alunos e foi imprescindível para o sucesso do encontro.
     

    Fernando Padula , Chefe de Gabinete da Secretaria da Educação abriu a cerimônia, após todos cantarmos o Hino Nacional. No seu discurso ele conta que é filho de uma caetanista e que coincidentemente trabalha numa das salas onde sua mãe teve aulas. Ele diz que a Secretaria está de portas abertas para todos nós.

     

    Maria Salles, diretora do Centro de Referência ao Ensino Mario Covas nos conta como foi o processo da execução do evento e pede para que os alunos do Caetano de Campos da Praça Roosevelt se levantem para apresentá-los à platéia, já que eles são a geração que está herdando os valores passados pelo patrono. Depois do evento perguntei a eles o que eles tinham achado:
    Gabriel me respondeu:
    _Vi muita gente chorar. Percebemos como todos gostavam da escola.
    Gabriel se mostrou impressionado.

     

    D. Kiyome fala de como veio do interior para São Paulo, ingressou no Curso Normal do Caetano de Campos, conheceu a mestra Cecília Amoroso, que desenvolveu todo o método de aprendizado do   "patinho"e como esta mulher, com seus valores influenciou sua vida. D. Kiyome foi professora do primário nos anos 1970 e orientadora pedagógica nos anos 1980, passou parte de sua vida no Caetano.

     

    D. Angela Amoroso, filha de Cecília Amoroso declama uma poesia de autoria de sua mãe. No final do evento ela me confessa que nunca poderia imaginar que a mãe fosse lembrada de uma maneira tão carinhosa nesse evento que para ela superoutodas as suas expectativas. Sua irmã Arminda, que trabalhou muitos anos como professora e coordenadora pedagógica na escola também estava presente.

     

    Meu discurso: falei sobre o nosso patrono, sobre os diretores que passaram pela escola, sobre os profissionais que lá trabalharam, lembrei de figuras queridas e importantes para todos nós e acabei falando da nossa cumplicidade e como passaremos nossos valores adiante; os valores de Caetano de Campos. Pra ser sincera eu achei que não ia conseguir nem falar, porque estava muito emocionada. Como muitos colegas gritavam e aplaudiam à medida que o discurso ia discorrendo, isso ia me dando uma força que me fez seguir em frente, obrigada colegas!!!!

     

    Dr Modesto Carvalhosa: muito emocionado, esse colega que foi o grande lutador para que nossa escola não fosse demolida nos anos 1970 devido à construção da estação República do Metrô, conta um pouco sua ( nossa) história.Dr. Carvalhosa é Presidente de honra da associação dos ex-alunos.

     

    Arystóbulo Freitas: Presidente da Associação dos ex-alunos conta um pouco sobre a associação, lembrando de Eliane Cáceres, ex-aluna que sempre lutou para a preservação do acervo da escola e amou a escola até o final, pois faleceu há alguns anos,falou sobre a importância desta associação e de sua continuidade. Foi ele que foi nosso mestre de cerimônia.

     

    Fernando Amaral, ex-aluno que esteve à frente da realização deste grande evento fala da emoção de estarmos todos reunidos e no final homenageia os nossos mestres presentes. Para estes professores são entregues uma placa de prata com agradecimentos e seus nomes gravados e também uma singela maçã, colocada numa cestinha de vime e coberta por papel celofane, executada pela ex-aluna Denise de Oliveira, também é entregue aos mestres, como símbolo do nosso carinho.

     

    Nossa colega Ana Cristina de Sá toca uma canção de carnaval que ficou em primeiro lugar no festival da escola em 1976.Muito divertido.


    Em seguida, um filme da secretaria da educação, sobre o prédio da escola é colocado no telão.

    E o melhor veio no final: todos nós cantamos o hino da escola, numa gravação feita pelo Gilson Peranzzetta, maestro casado com a Eliana Fonseca Peranzzetta, ex-aluna.
    Todas as gerações cantando o hino da escola. Várias gerações, um só coração.
    No final, passamos pelo foyer, onde havia um coquetel.

     

    Diógenes Lawand, Suely Ramos e Marlucia Naves Lemos do Cre Mário Covas, pessoas imprescindíveis na organização do evento. No foyer foi colocado um painel com uma foto gigante de D. Corintha Aciolly e alguns alunos. Em dois lugares podia-se encaixar a cabeça atrás do painel e fingir que estava abraçado com a diretora. Muita gente tirou fotos.

     

    Fomos para a foto oficial nas escadarias da escola. Cantamos o Salve Escola novamente. Depois um tour foi feito dentro da secretaria. Tinha gente correndo e deslizando no corredor, lembrando dos velhos tempos.

    veja mais sobre o encontro: clique aqui



    Voltar